Glória Fácil...

...para Ana Sá Lopes (asl), Nuno Simas (ns) e João Pedro Henriques (JPH). Sobre tudo.[Correio para gfacil@gmail.com]

domingo, dezembro 30

Jantar-debate (nova data)

O jantar-debate que o MIL (Movimento Informação é Liberdade) está a promover sobre auto-regulação no jornalismo foi adiado de 8 de Janeiro para a terça-feira seguinte, 15 de Janeiro. Será em Lisboa, em local a designar. Serão cobrados 10 euros por pessoa. As inscrições, abertas a todos os jornalistas, serão para o mail do MIL: informacaoliberdade@gmail.com .
|| JPH, 15:22 || link || (0) comments |

sábado, dezembro 29

Jornalismo futurologista

E agora? Que desculpa têm os jornalistas que andaram a atirar barro à parede com nomes errados para a presidência da CGD (Catroga, Manuel Pinho, Maldonado Gonelha, etc)? E os directores que pressionaram os editores e os editores que pressionaram os redactores?

A realidade mudou entretanto, não é? Pois, não é - mas não interessa. Escrevo com a autoridade de ter feito algumas asneiras à pala do jornalismo de antecipação. E de ter tentado, pelo menos, aprender com isso. Não liguem. É a velhice a falar.

PS. Mas faça-se justiça: o Diário Económico foi, que tenha reparado, o único jornal que especulou sobre a hipótese Faria de Oliveira. Acertou.
|| JPH, 18:58 || link || (1) comments |

sexta-feira, dezembro 28

E eu ando em grande sofrimento pelo Mundo

O DN tinha a "coisa":

O cardeal-patriarca de Lisboa, José Policarpo, afirmou ontem, na homilia de Natal, que o afastamento de Deus, ou o seu esquecimento e negação, constituem "o maior drama da humanidade".

E eu confesso que ando em grande sofrimento...
... pelo Mundo.
|| Nuno Simas, 18:55 || link || (0) comments |

Tarik Ali e a maldição dos Bhutto...

Tarik Ali escreveu no número de 13 de Dezembro da London Review of Books sobre o clã Bhutto, num artigo intitulado "A filha do Ocidente". E a maldição das balas, como a que matou o irmão, Murtaza, em 1996.
O texto vai em inglês e é retirada da capa da revista.

“The fatal bullet had been fired at close range. The trap had been carefully laid, but as is the way in Pakistan, the crudeness of the operation – false entries in police logbooks, lost evidence, witnesses arrested and intimidated, the provincial PPP governor (regarded as untrustworthy) dispatched to a non-event in Egypt, a policeman killed who they feared might talk – made it obvious that the decision to execute the prime minister’s brother had been taken at a very high level".

Onze anos depois, a irmã, Benazir, também morreu de uma bala. O atentado foi com um homem-bomba.
|| Nuno Simas, 17:28 || link || (0) comments |

quinta-feira, dezembro 27

Da relatividade

Na blogosfera nacional usa-se demasiado uma palavra: coragem. "O X teve coragem para dizer isto", o "Y para responder aquilo", etc, etc. Tretas. Quando pensarem em coragem pensem nesta mulher. Eu desconheço o que a movia na política: se o lucro pessoal, se a o serviço público, se uma qualquer tradição familiar imperativa - ou se uma mistura disso tudo. Nem me interessa, para o caso. Benazir Bhutto sabia o que queria. E sabia, exactamente, os riscos que corria. Morreu por isso. Que se respeitem as palavras, pelo menos.

(Benazir Bhutto, 1953-2007)
|| JPH, 20:12 || link || (0) comments |

quarta-feira, dezembro 26

Apostilha um pouco política e ligeiramente natalícia

O espírito de Natal ainda está vivo.
Ora “clickem” no “link” abaixo ou "do it yoursef"... é só seguir as instruções

http://www.elfyourself.com/?id=1810072981
|| Nuno Simas, 15:55 || link || (0) comments |

Apostilha capitalista

Estão bem uns para os outros - o PS e o PSD sobre o “affair” BCP/CGD.
Pouco depois de o PS chegar ao poder, Armando Vara, ex-ministro, ex-deputado e amigo de José Sócrates, foi para a administração da CGD.
A oposição clamou e clamou.
Na altura, Luís Filipe Menezes, num, debate com Marques Mendes, defendeu a nomeação de Vara.
Agora, com a cadeira vaga de Santos Ferreira, mais um ex-deputado socialista e gestor conceituado, o PSD acha, por um lado, que a “máquina” do PS anda a salivar de apetite pelo BCP, um banco privado, mas que quem o Governo PS deveria nomear para o “banco do Estado” era Miguel Cadilhe, ex-ministro do PSD, também ele muito respeitado.
Ora bolas!
|| Nuno Simas, 13:18 || link || (0) comments |

Apostilha natalícia

Depois de mais uma festa natalícia, acho que o hábito de oferecer prendas na noite de Natal foi inventado por um comerciante que não conseguia vender todo o “stock” nos saldos de Janeiro.
|| Nuno Simas, 13:07 || link || (0) comments |

terça-feira, dezembro 18

Este também se orgulhava de ser provinciano


|| JPH, 16:33 || link || (1) comments |

segunda-feira, dezembro 17

Jantar-debate

O MIL (Movimento Informação é Liberdade) convocou um jantar-debate sobre auto-regulação para o próximo dia 8 de Janeiro, em Lisboa. Inscrição abertas a todos os jornalistas para o mail informacaoliberdade@gmail.com até dia 3 (inclusivamente). Já se inscreveram:

António Ribeiro Ferreira
Helena Matos
João Fragoso Mendes
João Mesquita
João Pedro Henriques
Mário Bettencourt Resendes (porta-voz do MIL)
Pedro Correia
Torcato Sepúlveda
|| JPH, 14:31 || link || (0) comments |

domingo, dezembro 16

Preguiça e preconceito (II)

Ora aqui está uma resposta atipica da blogosfera: civilizada e reconhecendo o erro. Clap, clap, clap. Mas vamos à matéria de fundo:

Miguel Vale de Almeida (MVA) afirma: "Os artigos críticos surgidos na imprensa portuguesa [sobre a cimeira UE-África] não chegaram para contrabalançar a operação de publicidade do governo."

Devo dizer que segui mal a cobertura audiovisual (TVs e rádios). Ouvi amigos meus jornalistas criticarem-na duramente, considerando-a one-sided pró UE (ou seja, não ouvindo a parte africana nem permitindo que ela se fizesse ouvir). Admito. Quando MVA fala da operação de publicidade do governo presumo que esteja a falar, sobretudo, da cobertura audiovisual, sobretudo da televisiva.

Asseguro-lhe uma coisa: entre as TVs e os media escritos a "batalha" é absolutamente desigual. É a partir das TVs que se estabelece a opinião pública (e até muita da publicada). Quem quer ter uma visão minimamente isenta sobre as coberturas mediáticas em Portugal não pode deixar-se cair nesta ratoeira. Levam os justos pelos pecadores.

MVA escreve ainda que "Sócrates conseguiu fazer passar, em Portugal, a ideia de que a cimeira [UE-África] foi um triunfo". Esta é daquelas afirmações que eu só faria tendo na mão algo que medisse o "sentir" nacional (uma sondagem, por exemplo). Empiricamente digo: tenho dúvidas, tenho mesmo muitas dúvidas. Fiquei com a sensação que não foi bem visto o excesso de "proximidade" de Sócrates com tipos como Mugabe ou Khadafi ou o tipo do Sudão.
|| JPH, 15:24 || link || (0) comments |

sábado, dezembro 15

Preguiça e preconceito

O que se percebe lendo as criticas da blogosfera nacional à imprensa, por exemplo na cimeira UE-África, é que o discurso já estava no essencial escrito antes da realidade propriamente dita.

Veja-se o caso de Miguel Vale de Almeida (MVA). Lendo o que escreveu aqui, fica-se com a ideia de que imprensa portuguesa ignorou em absoluto o que correu mal nessa cimeira. Ao contrário do que aconteceu com a imprensa internacional.

Vamos então comparar alguns títulos internacionais escolhidos por MVA na imprensa estrangeira...

El País: "Un grupo de países africanos rechaza los acuerdos comerciales con Europa"
Guardian: "Africans reject EU trade pacts as deadline looms"
Le Monde: "A Lisbonne, l'offensive des pays africains contre l'UE"

...com alguns títulos da imprensa portuguesa no mesmo dia (10 de Dezembro), por mim seleccionados.

DN: "Comércio foi o calcanhar de Aquiles"
Correio da Manhã: "Comércio mancha Cimeira"
Jornal de Notícias: "Wade lança apelo contra acordos de parceria"

É má-fé? Ignorância? Inclino-me para uma terceira via: preguiça e preconceito. Um modismo que pegou de estaca.
|| JPH, 14:43 || link || (0) comments |

sexta-feira, dezembro 14

Terça-feira, 8 de Janeiro (II)

O MIL está a promover um jantar-debate aberto a todos os jornalistas sobre a auto-regulação no jornalismo. Foi convocado para dia 8 de Janeiro, em Lisboa (sítio ainda por definir). Inscrições para o mail: informacaoliberdade@gmail.com . O prazo de inscrição termina dia 3 de Janeiro (inclusivamente).
|| JPH, 13:10 || link || (0) comments |

quinta-feira, dezembro 13

Viva a Europa! (vii)

Agora é José Manuel... um "diseur" poliglota.
Será que também vai falar em holandês?
E em dinamarquês?
|| Nuno Simas, 12:10 || link || (0) comments |

Viva a Europa! (vi)

O "diseur" era José Sócrates, claro.
|| Nuno Simas, 12:05 || link || (0) comments |

Viva a Europa! (v)

Olha, estão cá os irmãos polacos...
Qual deles fará de Presidente?
|| Nuno Simas, 11:59 || link || (0) comments |

Viva a Europa! (iv)

Olha, agora vem o coro de Santo Amaro de Oeiras...
Ah não é...
Quem será este declamador de gravata azul e cabelo grisalho?
|| Nuno Simas, 11:52 || link || (0) comments |

Viva a Europa! (iii)

Eh pá, agora até temos direito a efeitos especiais no Mosteiro! Neons e tal!
|| Nuno Simas, 11:44 || link || (1) comments |

Viva a Europa! (ii)

Lá está José Sócrates na RTP, SIC-N e RTP-N entre os poderosos da Europa...
|| Nuno Simas, 11:38 || link || (0) comments |

Viva a Europa!

Hoje, dia da assinatura do Tratado de Lisboa, o Governo e Sócrates têm campanha gratuita.
É só ver as emissões da RTP, SIC-N, RTP-N...
Esperem pela resposta, em dose dupla, no domingo, na RTP: primeiro é o professor Marcelo, depois são os Gato Fedorento.
Vão ver!!!!!
|| Nuno Simas, 11:19 || link || (2) comments |

terça-feira, dezembro 11

Eh pá, que chateado que estou...

Os mafiosos da "noite" andam-se a matar uns aos outros.
|| JPH, 15:02 || link || (0) comments |

Terça-feira, 8 de Janeiro

Há notícias fresquinhas no blogue do MIL (Movimento Informação é Liberdade).
|| JPH, 13:05 || link || (0) comments |

segunda-feira, dezembro 10

Constatação

Lendo jornais portugueses (DN e CM, por exemplo) percebo que a Cimeira UE-África correu mal. Falharam os Acordos de Parceria Económica. Se as minhas certezas dependessem das de José Pacheco Pereira (JPP), eu não teria conseguido nunca perceber nada disto, muito pelo contrário. Face à propaganda cega dos trombones governamentais, JPP alinha apenas argumentos de pura contra-propaganda. Estão uns para os outros.
|| JPH, 10:53 || link || (1) comments |