Glória Fácil...

...para Ana Sá Lopes (asl), Nuno Simas (ns) e João Pedro Henriques (JPH). Sobre tudo.[Correio para gfacil@gmail.com]

sábado, janeiro 8

"Jornal de Notícias"

José Leite Pereira dirige o "Jornal de Notícias" há cinco anos. Frederico Martins Mendes, que agora se reformou, é desde então apenas "director" no cabeçalho (apesar da sua grande influência histórica no jornal).

Sob a direcção de José Leite Pereira, o Jornal de Notícias melhorou a olhos vistos. Ele e a sua equipa (David Pontes, Alfredo Leite, António José Teixeira) transportaram para o jornal uma dinâmica que só não vê quem não quer. O jornal continua a vender muito bem e isso acontece sem cedências a tentações tabloidizantes.

Além do mais - e isto é muito importante - o JN conseguiu resistir à governamentalização dos seus conteúdos, o que não é coisa pouca tendo em conta que se trata (de longe) do produto escrito mais valioso do império PT/Lusomundo.

Esta capacidade de resistir tornou certamente o jornal desagradável aos que, no triângulo PT/Lusomundo/Governo, o esperavam mais dócil para o poder vigente. Esses, se pudessem, livrar-se-iam o mais rapidamente possível de José Leite Pereira e da sua direcção.

Contudo, face aos resultados obtidos nos últimos anos, não havia margem para fazer com Leite Pereira e o que foi feito no DN com a direcção de Fernando Lima. E, assim, com a passagem à reforma de Frederico Martins Mendes, José Leite Pereira foi naturalmente convidado a suceder-lhe no cargo de "director" - que, repete-se, na prática já desempenhava há cinco anos, com o título de "director de redacção".

Ontem, estranhamente, o Conselho de Redacção (CR) do jornal (que integra o presidente do sindicato dos jornalistas, Alfredo Maia) decidiu "não dar parecer favorável" à designação de Leite Pereira. Por outras palavras: fez o que no topo da PT/Lusumundo (e no Governo, claro está) se gostaria de poder fazer (mas não havia coragem política para).

Felizmente, a redacção mobilizou-se e lançou um abaixo-assinado que, na prática, vai desautorizar o Conselho de Redacção (e, evidentemente, forçá-lo a demitir-se). O parecer do CR não é vinculativo mas a direcção do JN terá evidentemente outra força para ignorar esse parecer se o abaixo-assinado da redacção se revelar substantivo no seu apoio (o que está a acontecer).

Mas volto à vaca fria: o que terá propiciado esta estranha aliança objectiva entre o CR do jornal e quem queria afastar a direcção liderada por José Leite Pereira?
|| JPH, 16:10

1 Comments:

O Jornal de Notícias é independente do poder político. Consegui resistir à governamentalização.... deve ser dos meus olhos mas não é bem isso que vejo.
Blogger Pipo, at 10:06 PM  

Add a comment