Glória Fácil...

...para Ana Sá Lopes (asl), Nuno Simas (ns) e João Pedro Henriques (JPH). Sobre tudo.[Correio para gfacil@gmail.com]

domingo, janeiro 8

Eu gosto mesmo é de andar de táxi. Isto sim é uma experiência enriquecedora, sabedoria popular a rodos. Quem me tira os táxis...

Não sei como não me lembrei disto antes… E bastou uma singela e breve viagem de táxi. Afinal, a explicação é simples!
Há um jackpot no euromilhões - mais de cem milhões de euros (mais de vinte milhões de contos). Ora, por apenas três euros, o preço da “corrida”, fiquei a saber a verdadeira razão dos jackpots nos jogos de azar (e sorte!).
Tentativa de reconstituição do diálogo com o taxista (com algumas explicações em itálico).

Taxista: Já viu? Vinte milhões de contos?
Eu: Hã… (o taxista guiava, apesar do frio da noite, com as janelas abertas, pelo que fiquei momentaneamente surdo)
Taxista: O jackpot do euromilhões!
Eu: Ah…
Taxista: Não acha isto estranho?
Eu: Não!
Taxista: Eu acho. Eu desconfio. Eles ( “eles”, essa entidade indistinta, que tanto pode significar “os patrões”, “os políticos”, “o Governo” ou na versão "ele" chega a ser “Deus") têem "aquilo" (lá está esse outro clássico, o “aquilo”, que tanto pode significar computadores, como é o caso, como “o sistema” no futebol, etc.) dos computadores. Ora se "eles" têm as apostas todas dentro "daquilo" dos computadores e sabem quais as apostas, é só escolher uma aposta que não está lá para arranjarem esta coisa dos jackpots! Isto é na Europa, mas olhe, cá, com o Totoloto, deve ser a mesma coisa! Amigo, aquilo que eu acho é que "isto" (ver "aquilo") é tudo para chupar o dinheiro à malta!
Eu: Olhe, quando agora puder parar... Fico aqui.
|| Nuno Simas, 01:28

0 Comments:

Add a comment