Glória Fácil...

...para Ana Sá Lopes (asl), Nuno Simas (ns) e João Pedro Henriques (JPH). Sobre tudo.[Correio para gfacil@gmail.com]

sexta-feira, dezembro 8

Conversa acabada mesmo

Em 24 de Novembro passado, a nossa f. publicou aqui no Glória Fácil uma carta de uma nossa leitora, a Teresa. Tema: o aborto. A carta fez o seu caminho, de que se foi dando conta.

Entretanto, João Gonçalves meteu-se na conversa. E escreveu: "É pena que a Fernanda dê guarida à insolência gratuita e ofensiva só porque a "Teresa", coitadinha, conta a sua história maternal relativamente à qual não fez mais do que cumprir a sua obrigação, como ser humano, e porque se coloca, graças ao "coitadinha" explorado demagogicamente, do lado do "sim". Em minúscula. Isto além de fazer considerações sobre quem é e quem não é um "péssimo católico".

Ora bem. João Gonçalves (JG) tem o direito de escrever tudo o que lhe apetece. Assina por baixo e faz muito bem. Por mim reclamo o direito de considerar que JG se passou. O problema já não é estarmos apenas em desacordo sobre o aborto. O problema é que ele revelou, quando a discussão aqueceu, problemas graves de carácter. Há algo de muito doente em quem tantas certezas sobre as "obrigações" morais dos outros. E em quem acha ter credenciais para passar atestados de bom catolicismo.

JG pede todos os dias no seu blogue - no seu estilo de clone pobre de VPV - que lhe prestem atenção (o que se agravou desde que deixou de ter um jornal para despejar o azedume). Não mando no que escrevem os membros do Glória Fácil nem com quem se correspondem. Mas, por mim, muito sinceramente, estava na altura de, em relação a JG, dar a conversa mesmo por acabada. Manifestamente, o senhor não presta. Agradecia-lhe que doravante ignorasse a existência do Glória Fácil. Há leitores que preferimos não ter.

PS. Pode ser até que JG acate o meu humilde pedido e desista de comentar o que se for publicando no Glória Fácil. Mas, tendo em conta o grave problema de carácter que já revelou, temos a certeza que o comentará indirectamente, reforçando os ataques, por exemplo - mas é só um exemplo, outros haverá, certamente - ao jornal onde três de nós trabalham. Nada de novo. O jornal tem as costas largas para o ressentimento blogosférico. Nos últimos tempos é o que não tem faltado.
|| JPH, 16:02

0 Comments:

Add a comment